Publicado em Deixe um comentário

Ferramenta gratuita aborda competências digitais para professores

Imagem com o texto "CIEB Notas técnica #15 Autoavaliação de competências digitais de professores", com o fundo na cor verde.
Imagem com o texto "CIEB Notas técnica #15 Autoavaliação de competências digitais de professores", com o fundo na cor verde.

O CIEB (Centro de Inovação para a Educação Brasileira) lançou, neste mês, a a Matriz de Competências Digitais. Eles acreditam que a tecnologia pode ser uma grande aliada no processo de ensino e aprendizagem. Por isso, compreender quais são as competências e ferramentas digitais que devem ser trabalhadas é uma etapa muito importante para gerar práticas pedagógicas efetivas e significativas.

LEIA MAIS: Novo portal do CENPEC oferece acervo pedagógico para educadores

Assim, esse documento feito pela organização elenca quais os aspectos necessários para que o educador potencialize o poder da tecnologia. Seja para as atividades de ensino ou para seu próprio processo de atualização.

Esse trabalho busca possibilidade cada vez mais o desenvolvido do docente na tecnologia educacional. A partir disso, o trabalho resultou na criação de níveis de apropriação de tecnologias. Esse estudo apresenta descritores que indicam o que um professor, em cada nível, está apto a fazer.

OLHA SÓ: Educação é a Base? 23 educadores discutem a BNCC

A base conceitual dos descritores, desenvolvidos em parceria com o Instituto Natura e a Rede Escola Digital, está na Nota Técnica #15 do CIEB: “Autoavaliação de Competências Digitais de Professores”.

Competências digitais

A partir disso eles criaram a Autoavaliação de Competências Digitais de Professores, uma nova funcionalidade do Guia Edutec. Qualquer educador pode se cadastrar e acessar a ferramenta online e gratuita. São 23 questões, distribuídas em três áreas: Pedagógica, Cidadania Digital e Desenvolvimento Profissional.

VEJA TAMBÉM: Crescer Aprendendo: trilha mostra como superar os maiores desafios com as crianças

Ao responder as questões, o professor recebe uma devolutiva detalhada indicando qual o seu nível de apropriação das tecnologias digitais. Cada área e competência tem cinco níveis de apropriação: exposição, familiarização, adaptação, integração e transformação. O resultado inclui ainda sugestões, indicações de materiais, leituras e atividades. 

Além da devolutiva do professor, eles oferecem uma devolutiva aos gestores públicos. Assim, é possível visualizar o mapeamento das competências dos docentes da sua rede de ensino. Com isso, a secretaria de Educação pode desenvolver estratégias de formação bem focadas, significativas, que supram as reais lacunas e contemplem as expectativas dos educadores.

Publicado em Deixe um comentário

Nova Plataforma do CIEB aborda tecnologia e computação na educação

Fotografia de duas crianças uniformizadas, lado a lado, usando um tablet. Ao lado da foto há o texto "Inovações e conexões que transformam a educação".
(Reprodução/Facebook)

O Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB) é uma associação que busca promover a cultura de inovação na educação pública brasileira. Recentemente, eles lançaram uma nova plataforma, o Currículo de Referência em Tecnologia e Computação. Essa ferramenta busca auxiliar gestores e professores na implementação de alguns aspectos alinhados com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Com referências do Fundamental I e II, ela busca desenvolver habilidades relacionadas a inovação, tecnologia e computação, a partir da lógica de resolução de problemas.

LEIA MAIS: Curso Online aborda Redes Sociais, Games e Gamificação em Educação

No material, são apresentadas habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos. Além disso, há também práticas pedagógicas para ajudar os professores a pensar como trabalhar cada conteúdo em sala de aula. Ele foi elaborado a partir da análise de referências curriculares nacionais, como a BNCC. E também de materiais internacionais, que contemplam tecnologias e premissas da computação como conteúdos essenciais para trabalhar com alunos.

Assim, a plataforma busca mostrar sugestões e inspirações para gestores e educadores trabalharem suas propostas curriculares. É importante destacar que este currículo poderá ser revisado sempre que for necessário. Assim, é possível realizar as atualizações e aprimoramentos a partir de sua implementação.

Tecnologia e computação

O material está organizado em eixos (Cultura Digital, Pensamento Computacional e Tecnologia Digital), conceitos e habilidades específicas de tecnologia e computação. Apresenta sugestões de práticas pedagógicas e materiais de referência para apoiar os professores, bem como sugestões de avaliação dos alunos. O material traz também indicações sobre níveis de maturidade das escolas e dos docentes em relação ao uso das TDICs para cada prática sugerida.

VEJA TAMBÉM: Quem é o professor do futuro e como a tecnologia pode apoiá-lo?

O currículo está na sua primeira versão e, com a contribuição de diversos profissionais, ele pode ser cocriado e atualizado. Veja mais informações no Site do Currículo. Eles também disponibilizaram também uma webconferência no Youtube para tratar o assunto.