Plataformas online apoiam estudantes na entrada para o ensino superior e ajudam a combater a falta de democratização na educação

Logo no começo da semana que vem, vai acontecer a segunda fase da FUVEST. Como muitos já sabem – ou já sentiram na pele – há uma ansiedade e polêmica incessantes sobre os três dias de processo seletivo da USP. É possível deixar toda essa tortura longe.

Nós ouvimos muito sobre como essa prova pode ser difícil e como ela é elitizada. Isso principalmente por causa do sistema educacional que vivemos. Nele, o ensino público enfrenta muitos obstáculos para se solidificar e oferecer uma educação de qualidade. E é aí que entram diversas plataformas que garantem que o estudante aprenda online. Isso de qualquer lugar do país e no seu tempo. A Geekie Games foca nos estudos para o ENEM, o Descomplica e o Desenrolado também ajudam estudantes nas provas de vestibular.

Não podemos deixar de pensar no poder e na influência da tecnologia para a educação. Igor Pelúcio, CEO do Desenrolado, afirma: “Acreditamos que a educação precisa de mudanças para atender, de verdade, aos anseios dos alunos e às necessidades do nosso mundo”. “A tecnologia pode ser um elemento bem importante nesse processo. No entanto, como as pessoas que fazem Educação vão utilizar as novas tecnologias é o que vai definir isso”.

Entre os direcionamentos do Desenrolado, duas delas se destacam e têm relação direta com as novas tecnologias: o ensino híbrido e a sala de aula invertida. Neste último método, propõe-se aos alunos buscar os conteúdos antes da aulas. Isso torna o momento presencial mais focado em debates e atividades. “É estar ao lado do professor na hora que a dúvida surge, de fato. E a tecnologia pode ajudar não só para esse conteúdo chegar aos alunos antes das aulas presenciais, mas também para eles tenham uma jornada de aprendizagem personalizada”, comenta Igor.

Além disso, eles acreditam que é essencial que haja um mix entre as experiências presenciais e online, e que 100% dos conteúdos podem ser aprendidos por canais online (os conteúdos sim, as habilidades e as atitudes não).

Plataformas online educaçãoFerramenta para democratizar a educação

Segundo Igor, essa estratégia pode sim ser uma ferramenta para promover uma educação mais democrática. No entanto, isso depende muito de como ela for usada. “As novas formas de ensinar podem tornar a Educação mais barata, tornando-a mais acessível”, ele conta. “Uma videoaula pode chegar a milhares de alunos ao mesmo tempo. Precisamos de propósito, infraestrutura, boas ideias e capacidade de realização para fazer com que as novas tecnologias tornem o acesso a Educação de qualidade mais democrático”.

A ideia central do projeto é levar conteúdo de qualidade, feito por excelentes professores e, principalmente, com uma linguagem e um formato que o aluno goste e assista até o fim. E a plataforma faz isso através de canais próprio, como o Desenrolado.com, e através de parcerias, como o Enem Action, da rede de faculdades DeVry Brasil, e as plataformas de Educação de empresas como Pearson, SAS e Evolucional. Afinal, a combinação entre “conteúdo criado para despertar e aumentar o interesse dos alunos por aprender” e “transmissão de conteúdo em larga escala por plataformas online” é muito poderosa. Ela deve ser decisiva nos próximos passos da Educação.

Além do conteúdo

Além de toda a matéria, há também a inspiração. O Desenrolado recebe histórias de jovens que conseguiram bons resultados e acesso ao ensino superior com o apoio da equipe. A equipe lê depoimentos onde os alunos contam que superaram barreiras enormes, como a falta de recursos financeiros. Isso é o que os mais motivam esse projeto a alcançar cada vez mais jovens.

Agora, o Desenrolado pretende continuar aprendendo cada vez mais sobre os alunos. Ele também quer criar projetos de educação que estimulem o interesse nos estudos. “Estamos toda hora testando novos formatos de vídeo, como o Studio Nerd, onde combinados conteúdo escolar com séries e filmes da cultura geek, além de novos modelos de negócio, novas plataformas e novas jornadas para os aluno”, conta Igor.

Deixe sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *