Você já ouviu falar em leitura dialógica? Afinal, o que é isso? Esse tipo de leitura vai além de uma contação de histórias. A leitura dialógica propõe o diálogo com os ouvintes. Assim eles deixam de ser só ouvintes e passam a fazer parte da construção da história. A partir das narrativas dos livros, vamos introduzindo algumas perguntas e assuntos, incentivando as crianças a falarem suas ideias e compartilharem histórias do seu dia a dia. A leitura dialógica é uma ótima forma de criar conexão entre o adulto e a criança, aproximando professor e aluno.

Sou Mariana de Abreu que faço parte da Numi –  escola criativa para crianças e adolescentes com foco no desenvolvimento de competências socioemocionais. Sou apaixonada por educação e por livros infantis. Também atua como mediadora de leitura dialógica desde 2015, pelo projeto Livros Abertos da universidade de Brasília.

Conheci a leitura dialógica a partir do projeto Livros Abertos da faculdade de psicologia da minha universidade e me encantei. Faço parte desde 2015, e amo tanto a ideia que, mesmo depois da minha formatura, escolhi continuar. Comecei lendo para crianças de 3 anos, e desde então já trabalhei com turmas de segundo, terceiro e quinto ano. Atualmente, estou contando para turmas de oitavo e nono ano. O mais interessante é ver que a proposta funciona com diferentes idades. A experiência é sempre muito diferente em cada uma das turmas. Isso acontece porque as interpretações e diálogos partem das experiências de vida das crianças. Dentro do projeto, existem pessoas que estão trabalhando inclusive com EJA e tem tido uma receptividade maravilhosa.

Essa prática proporciona a educadores construírem um momento de compartilhamento com os alunos: juntos, podem conversar sobre diferentes  temas que vão surgindo a partir da narrativa dos livros, como bullying, preconceito, memórias, morte, entre outros. É uma ferramenta muito boa para ouvir o que as crianças têm a dizer a respeito do que sentem e ajudá-las a identificarem suas emoções.

Como fazer uma leitura dialógica?

Leitura dialógica: estudantes sentados em roda em um gramado

Você pode ler o livro primeiro para elaborar possíveis mediações e perguntas que gostaria de fazer para a criança, mas é importante ter sempre em mente que você não deve fechar a história para que ela chegue no mesmo ponto de vista que o seu. A leitura dialógica é uma forma de convidar a criança ao pensamento e a imaginação, sem direcioná-la para uma única interpretação.

Quando chegar o momento da leitura, é interessante mostrar a capa para criança e perguntar sobre o que ela acha que é a história. Você pode explorar o título, as cores e a imagem da capa.

Faça perguntas

Para começar e deixar que a criança se situe a respeito da história, podem ser feitas perguntas mais fechadas e  objetivas, como: “o que você está vendo na imagem?”, “o que o garoto está fazendo?”, “onde essa menina está?”.

Em seguida, procure fazer perguntas abertas, incentivando a imaginação da criança. São essas perguntas que vão permitir que o diálogo surja com mais facilidade. Você pode explorar, por exemplo, o que a criança acha que vai acontecer em seguida, se ela se identifica com aquela situação, se ela já se sentiu dessa forma ou se ela conhece alguém que se parece com o personagem. A partir da narrativa, você vai poder pensar melhor em quais intervenções são mais adequadas.

Explore as Imagens

A medida que nos tornamos adultos, acabamos passando despercebidos pelas ilustrações, mas elas trazem muitas informações sobre a história e complementam o significado do texto escrito. Explore os tons escolhidos pelo artista, questione o por que da escolha das cores. Você pode perguntar que sensação aquela cor transmite para a criança. Analise em conjunto o tamanho das formas: “por que certo personagem é muito menor que o outro?” ou “por que tem tantas sombras nessa imagem?”.

Professora mostrando livroEncerre abrindo possibilidades

Ao longo da história, realize as intervenções que achar necessárias, fazendo perguntas abertas e explorando as ilustrações. Ao encerrar a história, é interessante fazer perguntas que possam abrir outros horizontes sobre o final da história. Você pode perguntar “por que você acha que terminou assim?”, “como você gostaria que tivesse terminado?” ou “se pudesse inventar um novo final, como seria?”.

O objetivo desse tipo de leitura não é que as crianças escutem em silêncio, mas sim criar um espaço para uma conversa em torno da história, possibilitar o compartilhamento de ideias e interpretações. A complexidade da mediação vai variar de acordo com a obra e idade, e essa é uma prática muito boa para se fazer também com adolescentes e adultos – inclusive a partir de obras infantis e infantojuvenis. A leitura dialógica trabalha a leitura crítica, a interpretação de texto e desenvolve o gosto pela literatura. Além disso, é um caminho incrível para criar laços e conexões.

Uma experiência marcante com a Leitura Dialógica

No começo do ano levei o livro “A Árvore Generosa” para ler  com uma turma de oitavo ano. Sempre amei muito esse livro, porque me identifico muito com a narrativa. A história é sobre a relação entre uma árvore e um menino e, com o passar das páginas, vamos vendo o menino crescer e como sua relação com a árvore vai mudando. Por mais que o menino desapareça por um tempo, ela está sempre lá esperando por ele.

A leitura desse livro para a turma foi muito emocionante, os adolescentes fizeram uma associação entre a relação da árvore e do menino com a forma que lidam com suas mães e pais. Eles falaram sobre amor, afeto e arrependimento por nem sempre demonstrarem seus sentimentos para as pessoas que amam.

Sugestões de livros e Possíveis Temas

A Árvore Generosa – Shel Silverstein: afeto – relação entre pais e filhos – amizade

Onde Vivem os Monstros – Maurice Sendak: castigo – relação com os pais – imaginação – medo

O Coração e a Garrafa – Oliver Jeffers: morte – luto – saudade, dificuldade de demonstrar sentimentos

Selvagem – Emily Hughes: mudança de casa, estar fora dos padrões, adoção, raiva

Uma ótima fonte para consultas de livros e ideias de intervenções para a leitura  dialógica é a Revista Livros Abertos: https://www.revistalivrosabertos.org/