Núcleo de Empreendedorismo Juvenil, em BH, oferece formação gratuita para jovens da rede pública

Fotografia sobre o projeto de empreendedorismo juvenil, em BH, com aproximadamente oito jovens. Todos estão conversando e sorrindo ao fundo. Na frente há um jovem, sorrindo.
(Divulgação)

A Escola do Sebrae em Belo Horizonte tem um projeto de formação empreendedora para jovens da rede pública de ensino. O Núcleo de Empreendedorismo Juvenil (EFG NEJ) nasceu com a proposta de formar jovens empreendedores e protagonistas. Durante um ano, os alunos recebem formação técnica gratuita em administração voltada para gestão de negócios.

LEIA MAIS: Programa de formação “Mulheres na Ciência e Inovação” no RJ

Além das disciplinas básicas de administração, o curso oferece projetos “mão na massa” de empreendedorismo e gestão. O primeiro é o Tutoria, onde os alunos escolhem um empresário tutor que irá abrir as portas da sua empresa. Através dos encontros com os empresários, entrevistas e visitas técnicas, os alunos podem conhecer a rotina de uma empresa e descobrir como funciona um negócio, de dentro para fora.

Em seguida, os alunos participam do Empresa Simulada. Nele, o aluno vivencia o mundo empresarial e seus desafios em um ambiente simulado de empresas. Assim, ele tem a chance de passar pela gestão de todos os setores de uma empresa, conectado a uma rede simulada de cerca de 5 mil empresas virtuais em todo o mundo.

Empreendedorismo Juvenil mão na massa

Depois dessa jornada, os alunos estão prontos para finalizar o curso desenvolvendo uma proposta real de negócio. No Projeto Vitrine, eles precisam escolhem uma ideia de negócio, para depois desenvolvê-la e planejá-la, possibilitando sua implementação. Para isso, devem elaborar um plano de negócios, com o apoio de um professor orientador.

OLHA SÓ: Livro e websérie com ex-ministros traz histórico de política educacional no país

Além disso, o curso oferece a possibilidade do aluno atuar em projetos de empreendedorismo social, desenvolvendo ações junto à comunidade; projetos de responsabilidade socioambiental; e projetos de inovação. Assim, esses jovens tem a chance de desenvolver ideias inovadoras de negócios e criar a sua própria startup.

Expansão do Projeto

Em Belo Horizonte, o projeto funciona no Plug Minas, onde anteriormente funcionava uma unidade da Febem, em parceria com o Governo de Minas. Para ingressar, o jovem precisa estar cursando ou ter concluído o 3º ano do ensino médio na rede pública de ensino, ter entre 16 e 24 anos e ser aprovado no processo seletivo. São oferecidas 330 vagas por ano.

VEJA TAMBÉM: Com app de livros de imagens, StoryMax é finalista do Big Festival

Em 2017, o projeto se expandiu e abriu a primeira unidade fora do estado, em Salvador, na Bahia. Em 2018, duas novas unidades foram instaladas em Montes Claros, no norte de Minas, e em Belo Oriente, na região do Vale do Aço. A proposta é que o projeto consiga impactar cada vez mais jovens pelo Brasil.

Saiba mais sobre esses e outros projetos aqui.

Deixe sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *